Semana de Arte Moderna e a Cultura de nosso país

 

Nesta semana fazem 90 anos da chamada “Semana de 22”. A Semana de Arte Moderna representou uma mudança, a ruptura com padrões da época, a busca pela experimentação. Uma nova linguagem se instalava como um divisor de águas. Saia-se da vanguarda e entrava-se no modernismo. Ela inovou também no campo das apresentações, com poesias declamadas e consertos musicais. Os intelectuais da época filiaram-se a movimentos como as “Vanguardas européias” e em meio a turbulências políticas, sociais e econômicas, instalaram um movimento cultural capaz de revolucionar e ser o marco para a era que se iniciava.

Numa estada em São Paulo-SP, visitei o Museu da Língua Portuguesa na Estação da Luz e a Pinacoteca, foi um dia de uma viagem, que me levou a desbravar um mundo que para mim era muito novo, primeiro deslumbrado com o acesso a coisas que não tinha aqui ou quando as tinha será só de forma virtual. A visita me levou por águas antes não navegadas. Sou um aficionado por conhecimento, e estes lugares nos fazem sonhar. Renovam minha imaginação.

Os fatos acima, me fazem refletir sobre alguns aspectos que vivenciamos hoje: Qual o contato que nossa população tem com espaços e ambientes culturais? Será que os que existem são elitistas? Sabe-se que se tem bastante presente a cultura popular, tais manifestações despertam o quê no espectador? Pergunto-me isso, pois a meu ver, nossa população carece de uma inserção cultural mais bem definida, um movimento que oportunize acesso a arte, a cultura, a dança, a música e tantas outras manifestações artístico-culturais, capazes de transformar nossa sociedade. E isso se reflete na capacidade de desenvolvimento intelectual de um povo, auxilia no processo do povo opinar. Claro em muitos casos sobre temas do cotidiano, pois ainda demandamos de coisas básicas.

Ao tempo que tudo isso se reveste de força, sabe-se que tal cultura é construída desde cedo, nos bancos da escola, nela adquirimos o hábito da leitura, o gosto pela arte, pela cultura, refletido em todas as etapas de nossa vida. Dá substância aos pensamentos, ao diálogo com o outro. Levam-nos a pensar, refletir sobre o que somos enquanto sociedade. Alerto, pois, esta capacidade de diálogo torna-se importante em vários momentos. No meu caso em particular, gosto muito de escutar, principalmente os mais experientes, e eles me alertam que o individuo tem que ser bom em sua área, porém deve ter cultura geral e esta é uma carência dos nossos jovens, eles são em muitos casos, sem generalizar, vazios. Outro amigo diz, sempre que você vai conversar sobre uma oportunidade de emprego ou negócios, 90% da conversa é sobre o geral, assuntos variados e apenas 10% seriam sobre o seu objetivo.

E agora, temos que buscar fomentar em nossos jovens este gosto pela leitura, pela arte, pela cultura em geral, sob pena de levá-los a um conhecimento limitado, pautado apenas nas áreas que eles escolherem, se souberem fazê-lo e naquelas questões que são passageiras e sem raízes sólidas. Desenvolvendo nossa sociedade e promovendo uma inserção capaz de evitar os absurdos que permeiam todos os dias nossos noticiários, banhando de sangue nossas famílias.

Última atualização (Ter, 14 de Fevereiro de 2012 23:53)

 

Add comment


Security code
Refresh